Sexta-feira, 31 de Julho de 2009
...



publicado por nuvemm às 17:01
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 28 de Julho de 2009
Chorar, chorar, chorar...

Chorar alívia a alma, alívia a dor. 

Hoje ganhei coragem para arrumar a cama de viagem onde a Matilde deveria estar a descansar, a cama que iria ser o seu berço durante o período que estaria no quarto dos papás. Em vez disso, apenas tinha uma cama vazia de vida mas cheia de recordações... recordações de 9 meses de felicidade, de planos e sonhos. 

Desmotei-a sozinha, meti-a no saco e guardei-a até quem sabe um dia acontecer um milagre. O milagre de voltar a ser mãe e ter um filho a quem possa dar amor, carinho e um colo que não consegui dar à Matilde.

Sinto muitas saudades tuas, minha pequenina. Tenho muita esperança que um dia nos vamos encontrar nesse lugar onde agora te encontras e que espero que seja lindo.



publicado por nuvemm às 21:35
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Terça-feira, 21 de Julho de 2009
Stress...

Estou a stressar. Tenho hoje de colocar as preferências para o concurso de professores e não me está nada a apetecer. A verdade é que tenho até dia 24 para concorrer mas não gosto de deixar estas coisas para os últimos dias.

Não sei o que fazer... não sei se coloco escolas ou se coloco apenas os conselhos. Acho que vou optar pela 2ª opção, pelo menos não tenho de me preocupar em escolher códigos de Agrupamentos que nem sequer conheço. De qualquer forma, para quem teve a dar aulas na EBI da Apelação em que a maior parte dos alunos vêm da Quinta da Fonte, qualquer outra escola não fará grande diferença. Além disso, com a sorte que tenho andado ultimamente, é melhor nem pensar muito.

Grande m................


tags:

publicado por nuvemm às 11:48
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 17 de Julho de 2009
Encontro Artémis

Ontem conheci e revi pessoas que são verdadeiras guerreiras.

Encontrámo-nos no Forum Montijo e ali ficámos durante algumas horas a partilhar as nossas mágoas, as alegrias e as esperanças a que cada uma se agarrou para superar a dor de perder um filho antes mesmo de nascer. Também se disseram alguns disparates porque também faz parte... e quando se juntam muitas gajas!!!... Mas é bom, além de nos divertir, também corta o ritmo pesado que a conversa às vezes toma.

Tive o prazer de conviver com meninas que, depois da perda dos seus bébés, estão novamente grávidas e são realmente a prova de que se pode voltar a sonhar e nunca se deve perder a esperança. Uma dessas meninas é, para mim, a mais especial, porque já era amiga e casada com um grande amigo. Falo da Carina, que perdeu o Tiago e agora está asiosa à espera que nasça o Afonso.

Também o Filipe lá apareceu com a sua mana. É realmente um grande amigo e provou ser um homem de coragem pois, contrariando a maioria dos homens que evitam falar no assunto e preferem esconder os seus sentimentos, ele dá a cara por esta Associação.

Na mesma situação que eu, estava uma menina, a Rute, que perdeu o seu bébé cerca de 15 dias depois de eu ter perdido a Matilde. Estamos as duas no mesmo barco e a passar um período bastante difícil, mas acredito que, com a ajuda dos amigos, da família e da Artémis, um dia possamos voltar a sonhar e a sorrir como antes.

Tivémos a presença do Vasco que, com apenas 2 anitos, só podia mesmo ser lindo e uma força da Natureza sendo filho da Sandra Almeida e tendo a irmã Mónica no céu a olhar por ele.

Finalmente, temos a Joana, que não tendo perdido um filho, perdeu um sobrinho, o Tiago. Pois é, a Joana é irmã da Carina, uma irmã que todos gostavam de ter, uma irmã que sofre a perda de um sobrinho como nenhuma outra que eu conheço, uma irmã que se dedica de corpo e alma a esta Associação.

Hoje faz 2 meses que a Matilde partiu e o dia de ontem ajudou-me a encarar esta data como mais um dia que terei de ser forte e tentar superar esta dor apoiando-me em quem gosta realmente de mim.


tags:

publicado por nuvemm às 10:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 13 de Julho de 2009
CUF Descobertas

Este foi o texto que enviei hoje ao Hospital CUF Descobertas:

 

No dia 17 de Maio de 2009 dei entrada no serviço de atendimento permanente deste hospital. No dia 17 de Maio de 2009 perdi a minha única filha, a minha menina com 37 semanas e 3 dias de gestação e quase perdia a minha própria vida. No dia 17 de Maio de 2009 sofri uma ruptura uterina e posso não vir a ter mais filhos.

Dei entrada pela primeira vez por volta das 4 horas da madrugada com muitas dores abdominais. Fui atendida por uma médica que me fez o CTG e toque e verificou que não me encontrava em trabalho de parto mas que, apesar das minhas queixas e de ter vomitado ainda durante a consulta, me mandou para casa depois de ter perguntado ao meu marido se eu era piegas. Não culpo essa médica por aquilo que aconteceu pois não era previsível nem diagnosticável por qualquer exame, nem a culpo porque também eu achei que tivesse tido uma paragem de digestão… mas eu não sou médica.

Decidi enviar a minha história como forma de alertar todos os médicos para que sejam mais cautelosos e dêem importância a todos os sintomas que possam ter as mulheres grávidas. Não façam juízos de valor porque nem todas as mulheres são piegas.  

Talvez se a médica me tivesse mantido mais tempo em observação a história pudesse ter outro final, talvez tivesse percebido que a minha bebé estava em sofrimento e eu também, talvez eu não corresse risco de vida e tivesse agora a minha filha ao colo… mas talvez acontecesse tudo da mesma forma. Não sei, nem nunca irei saber e por isso nunca tive intenções de fazer qualquer queixa apesar de muita gente me dizer para o fazer e por isso também não a identifico a médica que me atendeu naquela madrugada.

O meu regresso a este hospital deu-se por volta das 12 horas do mesmo dia, sugerido pela Dr.ª Ana Paula Valentim que, num dia que deveria ser de descanso, apenas passou pelo hospital para ver umas parturientes. Quando lá cheguei quase não me mexia de tantas dores e hoje posso dizer que talvez tivesse sido o destino que enviou a Dr.ª Ana Paula naquele dia. Contra a opinião de outros médicos a Dr.ª decidiu fazer-me cesariana, o que me salvou a vida. A ela agradeço a minha vida e tudo o que fez por mim e que sei que faria para salvar a minha menina se o pudesse ter feito.

Agradeço também às enfermeiras que me deram muito apoio, especialmente a Enfermeira Rosa, agradeço ao anestesista que foi extraordinário mas que não cheguei a saber o nome apenas percebi que não é português devido ao seu sotaque e agradeço a toda a equipa médica que não teve uma vida muito fácil naquele dia.

Também gostaria de fazer um pedido, gostaria que divulgassem no Hospital uma Associação que me tem ajudado neste período tão doloroso, a “Artémis” e que pode vir a ser útil para aliviar o sofrimento de outras mulheres. Esta é uma Associação que ajuda as mulheres e seus familiares que passam por uma perda gestacional, seja ela aborto ou morte fetal. Nesta Associação todos falam a mesma Língua e partilham a mesma dor. O site é: http://www.associacaoartemis.com e o fórum é http://perdagestacional.forumeiros.com.

Peço desculpa por ter sido um pouco extensa e não sei se irei enviar este texto para o sítio certo e se alguém o irá ler e dar alguma atenção às minhas palavras e ao meu desabafo, mas senti que o tinha de fazer.

Obrigado,

Vanda Serrano

 



publicado por nuvemm às 12:50
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Terça-feira, 7 de Julho de 2009
Sonho

Era uma vez um sonho, o sonho de ser mãe.

Um dia conheci um príncipe que me fez sorrir um ano depois de eu ter perdido uma das pessoas mais importantes da minha vida, o meu pai.


Como em todos os contos de fadas, sonhámos. Sonhámos em ser pais e alargar o nosso amor.

Num dia de Inverno aconteceu, fiz o primeiro teste e não quis acreditar que tivesse ficado grávida tão facilmente, no entanto, e depois de termos partilhado a nossa felicidade com a família na noite de Natal, no dia seguinte o sonho transformou-se em estrela. Perguntei-me porquê a mim, porquê no dia de Natal e chorei.

Voltámos a sonhar passados três meses, novamente positivo. Mas depois de dias cheios de dor física, o sonho foi novamente adiado por uma gravidez ectópica e o corpo mutilado com menos uma trompa. Mais uma vez uma estrelinha no céu. Perguntei-me novamente porquê, porquê tanta facilidade em engravidar e ao mesmo tempo tanta falta de sorte. Ergui a cabeça e pensei: “as coisas não acontecem por acaso, esta situação deve servir para dar mais valor ao meu sonho”.

Passados cinco meses e depois de todos os exames feitos, o sonho voltou, desta vez com muitos medos e angústias. Parecia milagre! Como consegui engravidar no primeiro mês apenas com uma trompa? Mas consegui e o sonho parecia cada vez mais real à medida que as semanas passavam. Até que, quando menos esperava, e a muito pouco tempo do sonho se concretizar, o nosso castelo ruiu, a menina dos nossos sonhos estava lá dentro e não a conseguimos salvar. Com ela foi também o meu corpo novamente mutilado por um útero que não sei se poderá voltar a fazer-nos sonhar.

Como alguém um dia disse: “o sonho comanda a vida”. O que é feito agora do meu sonho. Quero acreditar que vou voltar a sonhar e que as minhas estrelas e a minha princesa Matilde me vão ajudar. Por agora deixei o meu castelo e vivo numa casinha mais humilde com o meu príncipe.

Esta não é uma história com final feliz como todos os contos de fadas, mas pode ser que a história não acabe aqui e um dia possa terminá-la com um outro final.


tags:

publicado por nuvemm às 12:51
link do post | comentar | favorito
|

Origem

A origem deste blog tem a ver com a necessidade de, num determinado período da nossa vida, termos necessidade de desabafar.

Este blog não foi construído com o objectivo de ser lido por alguém, mas sim para afogar as minhas mágoas, dizer disparates e principalmente falar sobre a minha menina que perdi às 37 semanas de gestação - daí o M de Matilde. O nome "Nuvem M" surge porque alguém um dia me disse que a Matilde é um anjo que brinca com todos os outros anjos que também partiram cedo demais. Esse alguém chama-se Sandra Almeida e é uma força da natureza, pois também ela perdeu a Mónica com precisamente 37 semanas mas ganhou forças numa Associação - Artémis, e agora já com um principe - o Vasco, ajuda de forma incondicional todas as mães que perdem os seus anjos.

Este blog surge do sonho de um dia poder vir novamente a ser mãe.



publicado por nuvemm às 12:09
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim
Daisypath Anniversary tickers
.posts recentes

. Petição

. O tempo que passa

. Cansada

. Amor

. Loucuras de adolescentes

. Ponto da situação

. Longe da Cibernáutica

. Passeio mágico

. ...............

. Depois de um dia mau vem ...

.arquivos

. Abril 2012

. Agosto 2011

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

.tags

. todas as tags

.As minhas pinturas
.Pessoal que aqui passa
Contador de visita
Usuários online
.pesquisar
 
blogs SAPO
.subscrever feeds